Especialistas Participantes
Raúl Araki
Conteúdo

Descrição

Especialistas

Instituições

Informações

Simpósio

Equipe e Conselheiros

English Japanese
Spanish Portuguese

JANM Logo
Japanese American
National Museum


Raúl Araki é nipo-peruano de terceira geração, formado em Antropologia pela Pontifícia Universidade Católica do Peru. Tem-se dedicado a muitos projetos de pesquisa sobre imigração e os descendentes de japoneses no Peru. Colaborou com a Profa. Amelia Morimoto na organização do censo nacional de 1989 e na adaptação sócio-econômica dos descendentes de japoneses em seu país. Em seu mais recente trabalho, fez uma análise sobre os reféns detidos na Embaixada do Japão no Peru em 1997.

e-mail: musinjap@apjp.org.pe

Resumo da Proposta de Pesquisa
Avaliação do processo de formação da identidade nikkei no Peru

A proposta de Raúl Araki é estudar a cultura e a identidade dos nikkeis no Peru. Se nos últimos vinte anos importantes trabalhos nas áreas de demografia, estatística e história vêm sendo publicados (representados por Toraji Irie e Amelia Morimoto), pouco tem sido desenvolvido na área de estudos de cultura e identidade. Hoje, ao mesmo tempo em que os nikkeis apresentam uma boa integração cultural no cenário urbano do Peru, eles se consideram e são considerados um grupo singular. Esta percepção persiste apesar do contínuo processo de integração social e da participação ativa na política nacional, personificada pelo presidente Alberto Fujimori. Em seu estudo, Araki pretende abordar três questões: (1) a formação da identidade nikkei no processo histórico peruano; (2) a maneira pela qual a comunidade nikkei é vista pelas outras comunidades peruanas e pelos japoneses; e (3) como a comunidade e a cultura japonesa vêm se transformando ao longo da história do Peru.



"Uma avaliação do processo de formação da identidade nikkei no Peru "
Neste ensaio, exploro um tema bastante complicado. Espero identificar alguns elementos, variáveis e condições que podem ser vistos no processo de formação da identidade nikkei no Peru.
Para estudar o tema de identidade, neste caso a identidade nikkei, contamos apenas com resultados parciais e temporários por estarmos sujeitos a novas experiências e mudanças de identidades. Devido a essa complexidade, faz-se necessário ter um enfoque multidisciplinar sobre o assunto.
Dentro da aparente homogeneidade do grupo, há grandes diversidades. Devemos ter cuidado, portanto, para não acabarmos tendo descrições insuficientes, o que levaria a uma análise imperfeita.
Primeiro, existe uma dualidade entre a experiência histórica comum e as experiências de vidas individuais, que se complementarão.
Compartilhamos uma herança cultural mas que está repleta de nuances regionais com diferentes graus de adaptação, mistura e assimilação.
Além disso, a identidade peruana e latino-americana foi incluída no nosso processo de formação de identidade, e os questionamentos continuam. Cheia de contradições, mas, ao mesmo tempo, vital e com muitas promessas.
No Peru, há cinco gerações de nikkeis, cobrindo grandes faixas etárias. “The People of Japanese origin in Peru” [Pessoas de origem japonesa no Peru] (Morimoto, 1987) mostra uma diferenciação sócio-econômica e essa diferenciação acentua a distinção entre aqueles que pertencem e os que não pertencem.
Ao mesmo tempo, estamos unidos com orgulho de nossa origem e da cultura japonesa que herdamos e nossa valorização da cultura pré-hispânica que nos diferencia. Há, ao mesmo tempo, diferentes culturas regionais no Peru, que também existem em nós. A consciência desse orgulho nos dá auto-estima, explicando parcialmente nossa identidade.
Também se pode dizer que o grau de instrução desse grupo de pessoas é relativamente alto. Pessoas com grau escolar secundário ou superior chegam a 63,14% da população total [nikkei]. Em números aproximados, somente 0,39% da população total de origem japonesa no Peru não é escolarizada (Morimoto, 1991). Embora esteja ainda em nível especulativo, espero com este estudo determinar como os membros da sociedade principal vêem o nikkei e qual é o tipo de estereótipo que criam sobre ele.
Neste estudo, defino identidade nikkei como uma construção simbólica através da qual as pessoas expressam sentimento de afinidade. Marcados pela sua origem e passado comuns, com valores, costumes e códigos de conduta em comum, aceitam e valorizam a mistura cultural e estão aprendendo a conviver com a mistura racial.
A formação da identidade nikkei é um processo criativo de indivíduos e de grupos que envolve escolhas conscientes e dimensões inconscientes (Marcus, 1992). Escolhas cuja expressão é uma síntese de várias experiências das vidas de cada indivíduo, de cada grupo e de instituições concernentes à visão do mundo que se relaciona com o tempo e o espaço externo e interno.
Da mesma forma, a identidade que mantém a memória antiga da infância, da adolescência e do presente; as expectativas e as perspectivas do futuro.(Peña Peña 1997) Se a lembrança dos acontecimentos e dos bons momentos faz parte da identidade, gostaríamos de ajudar a preservar tudo isso. Tentamos identificar os elementos essenciais que nos traz unidade, como podemos integrar a identidade pessoal à identidade coletiva e as tendências em busca de um projeto comum.
Neste ensaio introdutório, trabalho com experiências de nikkeis no Peru, e através dessas experiências exploramos o processo de formação da comunidade nikkei e suas identidades.