Especialistas Participantes
Harumi Befu
Conteúdo

Descrição

Especialistas

Instituições

Informações

Simpósio

Equipe e Conselheiros

English Japanese
Spanish Portuguese

JANM Logo
Japanese American
National Museum


Atualmente, Harumi Befu é professor de Antropologia Cultural na Universidade Kyoto Bunkyo e professor emérito do Departamento de Antropologia da Universidade de Stanford. Com muitas obras publicadas abordando vários aspectos da cultura japonesa, Befu é um dos principais especialistas da área de estudos japoneses, escrevendo artigos para periódicos especializados de grande prestígio em língua japonesa e inglesa.

e-mail: befu@po.kbu.ac.jp

Resumo da Proposta de Pesquisa
Os nikkeis no contexto do japão na era da globalização

O termo "Nikkei", definido como aqueles que saíram do Japão e residiram ou residem no exterior e seus descendentes, costumava encerrar um conceito bastante claro para designar os imigrantes que se estabeleceram na América do Sul e do Norte no período antes da guerra até o pós-guerra (até cerca de 1960), incluindo seus descendentes. Hoje, como uma categoria, nikkei tornou-se uma palavra de conceito mais complexo com muitas subcategorias divergentes. A pesquisa do Dr. Befu examinará todos os diferentes processos da experiência nikkei conhecidos no mundo. Uma das novas subcategorias a serem tratadas em seu trabalho será a dos japoneses que se mudaram para o Novo Mundo e para a Europa nos últimos 20 a 30 anos e seus descendentes. Esses japoneses manifestam uma enorme gama de características distintas em relação aos primeiros imigrantes. Em geral, contam com uma formação acadêmica mais elevada, preenchem nichos ocupacionais diferentes, mantêm laços mais próximos com o Japão e muitos se deslocaram com a intenção de se estabelecerem no exterior permanentemente. Uma segunda subcategoria inclui números desconhecidos de nikkeis que permaneceram no exterior por escolha própria ou por falta de opção no período após a II Guerra Mundial. Entre eles estão crianças abandonadas na parte continental da China, filhos de trabalhadores japoneses nas plantações das Filipinas, japoneses levados para os campos de trabalho na Manchúria durante a invasão soviética e outros. A conscientização e o reconhecimento de toda a variedade de experiências nikkeis no cenário global é o objetivo final da pesquisa do Dr. Befu.



Desde o século XIV, os japoneses vêm expandindo seus horizontes em todo o mundo. Nos séculos XV a XVII, piratas e mercadores japoneses viajavam pelas costas da China e da Ásia de Sudeste, estabelecendo até “cidades japonesas” no exterior. Este período de diáspora chegou ao fim quando o governo feudal emitiu ordens de fechamento dos portos japoneses.
O período seguinte teve início em meados do século XIX, com japoneses emigrando aos milhões para o Havaí, América do Norte e do Sul, Ásia Oriental e de Sudeste e Oceania. Havia comunidades nikkeis em todos os lugares. Porém, esse período de diáspora também teve que acabar em 1945 com o fim da II Guerra Mundial.
O terceiro período começou logo após o fim da guerra e continua até hoje. Aqueles que migraram para fora do Japão desde 1868 podem ser classificados em oito categorias, que estão ordenadas abaixo de forma aproximadamente cronológica:
(1) Emigrantes do pós-guerra que foram para todas as partes do mundo. Permanecem em números maiores no Hemisfério Ocidental, mas também há quantidades desconhecidas na Ásia e na Oceania.
(2) "Noivas de Guerra”, cuja maioria deixou o Japão rumo aos Estados Unidos, Austrália e outros lugares na década de 1950; embora fosse com o objetivo de se casarem com membros das forças armadas estrangeiras, o fenômeno continua até hoje, uma vez que ainda há bases militares estrangeiras com membros das forças armadas no Japão.
(3) Emigrantes do pós-guerra, a maioria indo para a América do Sul, mas alguns para a América do Norte. Grande parte deles deixou o Japão sob um inadequado programa de governo e sofreu muito.
(4) Aqueles de casamentos internacionais, não envolvendo membros das forças armadas estrangeiras, mas ainda com grande número de mulheres japonesas casando-se com homens estrangeiros.
(5) Expatriados comerciais multinacionais e suas famílias, sendo provavelmente o grupo mais numeroso do pós-guerra a deixar o Japão.
(6) Aqueles que proporcionam infra-estrutura de serviços para a comunidade de especialistas comerciais, mas constituindo uma comunidade um tanto diferente.
(7) Aqueles que de certa forma abandonaram o Japão devido ao seu descontentamento com sua situação de vida no país, alguns juntando-se aos do item (6) acima, e por fim
(8) Desistentes sociais, que deixaram o Japão por causa da monotonia, ou porque não conseguiam emprego ou entrar na faculdade, em geral sendo sustentada pelos seus pais no Japão.
Essas oito categorias de nikkeis são encontradas na maior parte do mundo e mantêm uma relação complexa entre si.