Especialistas Participantes
Masako Iino
Conteúdo

Descrição

Especialistas

Instituições

Informações

Simpósio

Equipe e Conselheiros

English Japanese
Spanish Portuguese

JANM Logo
Japanese American
National Museum


Masako Iino é professora na Faculdade Tsuda, em Tóquio, sendo também professora visitante na Universidade McGill e na Universidade Adcadia como especialista em relações Canadá-Japão. É presidente da Associação Japonesa de Estudos Canadenses e membro do Comitê Executivo da Associação Japonesa de Estudos Americanos e do Conselho Deliberativo de Imigração. Já publicou várias obras e artigos profissionais cujo tema central são as relações Japão-Canadá e Japão-Estados Unidos, além de questões referentes a etnia, identidade, relações internacionais e estudos de emigração e imigração.

e-mail: iino@tsuda.ac.jp

Resumo da Proposta de Pesquisa
'LARA' e os Nipo-canadenses (e Nipo-americanos)

A Profa. Iino propõe estudar a forma como as relações entre o Canadá e o Japão afetaram o status dos descendentes de japoneses na sociedade canadense analisando as atividades de ajuda do "LARA" (Agências Licenciadas para Ajuda na Ásia) logo após a II Guerra Mundial. LARA foi uma organização que coletava e enviada alimentos e roupas para o Japão devastado entre 1946 e 1952. Durante esse período, a quantidade de suprimentos de ajuda enviados ao Japão através do "LARA" foi de 17.000 toneladas, correspondendo a 40 bilhões de ienes em 1952. Cerca de 20 por cento do total de suprimentos de ajuda veio de nipo-canadenses, nipo-americanos e descendentes de japoneses na América Latina. Ao examinar o papel do nikkei nessas atividades de ajuda do LARA, a Dra. Iino explora a complexidade de respostas relacionadas às questões de lealdade, identidade e identificação étnica entre nipo-canadenses e pessoas de ascendência japonesa que se viram no fogo cruzado da política internacional.



Muitos estudiosos argumentam que o confinamento político afetou os nikkeis no Canadá e nos Estados Unidos, principalmente os nisseis, no que tange sua auto-imagem e identidade étnica. Devido ao que passaram durante a guerra, muitos deles acabaram se sentindo envergonhados de terem origem japonesa e tentaram rejeitá-la, ou esconder o fato de que tinham alguma relação com o Japão, ou evitar situações que faziam com que eles mesmos ou outras pessoas reconhecessem tal fato.
Alguns nikkeis, contudo, ficaram profundamente preocupados com a situação dos japoneses no Japão. Eles buscaram uma forma de ajudar as pessoas no Japão arrasado pela guerra e descobriram que podiam conseguir seu intento entrando em contato com uma organização chamada “LARA” (Agências Licenciadas para Ajuda na Ásia), uma entidade estabelecida por civis nos Estados Unidos. Essas pessoas recolhiam alimentos e roupas e enviavam tudo para o Japão devastado através da “LARA”. Na época, a ajuda correspondeu a 17 mil toneladas, equivalendo a 40 bilhões de ienes em 1952. Essa ajuda foi chamada de “Suprimentos de Ajuda LARA” e teve enorme reconhecimento por parte do governo e do povo japonês, que passavam por uma fase de escassez de tudo que fosse necessário à sobrevivência. O que deve ser observado é que cerca de 20 por cento de todos os suprimentos de ajuda vinham de contribuições do povo nikkei da América do Sul e do Norte. A seguinte declaração pode não ser um enorme exagero: “A Guerra no Pacífico trouxe aos nikkeis da América do Sul e do Norte sofrimentos imensuráveis. Para aqueles nikkeis, o ponto de partida dos ‘Cinquenta anos após a II Guerra Mundial’ era estender a mão às pessoas vitimadas pela pobreza em seu país natal no Pacífico”.
Os documentos do governo japonês e outros materiais afins sobre o LARA me permitiram pesquisar como as atividades de ajuda dessa entidade começaram, como as comunidades nikkeis na América do Norte se envolveram nelas e como tais atividades eram vistas pelo governo japonês.