Especialistas Participantes
Gary Mukai
Conteúdo

Descrição

Especialistas

Instituições

Informações

Simpósio

Equipe e Conselheiros

English Japanese
Spanish Portuguese

JANM Logo
Japanese American
National Museum


Gary Mukai é diretor do Projeto Japão e do Projeto Ásia/Pacífico do Programa Stanford de Educação Internacional e Intercultural da Universidade de Stanford. Obteve seu grau de mestre em Educação de Desenvolvimento Internacional em 1981 pela Universidade de Stanford e conta com mais de doze anos de experiência em magistério, lecionando desde a pré-escola até o segundo grau nos Estados Unidos. Publicou vários livros e artigos sobre a Região Ásia/Pacífico e as relações Estados Unidos-Japão. Em 1997, recebeu o prêmio Franklin Buchanan pelo desenvolvimento de materiais curriculares sobre a Ásia e as Relações Estados Unidos-Japão.

e-mail: gary.mukai@forsythe.stanford.edu

Resumo da Proposta de Pesquisa
A migração japonesa para as Américas

O objetivo de Gary Mukai é o de tornar as bolsas de estudos acessíveis aos jovens. Neste projeto, ele propõe o desenvolvimento de uma unidade curricular chamada "Migração Japonesa para as Américas". Esse trabalho será realizado com base em uma série de três partes tratando das relações Estados Unidos-Japão, produzida em 1993-1995 pelo Projeto Ásia/Pacífico, do Instituto de Estudos Internacionais da Universidade de Stanford. Os objetivos da unidade curricular são: (1) introduzir perspectivas históricas sobre migração nikkei para as Américas; (2) apresentar perspectivas múltiplas sobre a experiência nikkei nas Américas; e (3) analisar o impacto das experiências dos nikkeis nas Américas sobre as relações nipo-americanas. A unidade curricular proposta abordará a migração japonesa para as Américas com atenção especial sobre a experiência das "noivas por fotografia" (picture bride) em países como o Brasil, o Peru e os Estados Unidos. Isso proporcionará aos alunos um contexto histórico da migração japonesa para as Américas, ao mesmo tempo em que ilustrará como os principais acontecimentos históricos tiveram um impacto significativo sobre as relações nipo-americanas. Os alunos examinarão documentos originais, como os documentos de imigração das noivas japonesas por fotografia e participação nas atividades em grupos pequenos. Essas atividades em grupo serão realizadas à luz da teoria da inteligência múltipla de Howard Gardner, que reconhece sete talentos diferentes e incentiva os alunos a aprender através de suas melhores habilidades. Os alunos terão que fazer comparações interculturais entre a experiência de migração japonesa nos Estados Unidos e na América Latina.



O desenvolvimento da matéria de currículo para a escola secundária, A Migração Japonesa e as Americas: Uma Introdução ao Estudo da Migração, foi um esforço no sentido de tornar a pesquisa de estudiosos associados ao International Nikkei Research Project (projeto internacional de pesquisa Nikkei) acessível ao público jovem.

A unidade curricular introduz os estudantes ao estudo da migração, incluindo uma apreciação geral de algumas categorias de migração e das razões que levam a população a migrar. Nesse estudo introdutório a experiência migratória japonesa nas Americas é utilizada como estudo de caso. Os alunos são apresentados a categorias de migração, tais como migração rural-urbana, urbano-urbana, migração cíclica, migração forçada, migração de retorno, re-migração e migração temporária. Exemplos de migração e estudos de caso são extraídos da experiência japonesa na Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, México, Paraguai, Peru e os Estados Unidos.
Uma breve história da experiência japonesa em cada um destes países é apresentada aos alunos e atividades em pequenos grupos são realizadas para melhor compreensão de eventos relacionados à migração. Os estudantes são estimulados a pensar de que maneira a migração afetou a vida de suas próprias famílias.
Os pesquisadores do INRP contribuíram não apenas com seu conhecimento sobre a experiência Nikkei em vários países mas também com materiais de fontes primárias utilizados em muitas das atividades em grupo. Destas atividades, muitas foram testadas em campo em salas de aula nos Estados Unidos e em escolas independentes na China (inclusive Hong Kong), Indonésia, Japão, Laos, Malásia, Myanmar, Filipinas, Singapura, Coréia do Sul, Taiwan e Tailândia.
Os professores afirmaram que a matéria assim elaborada é uma forma útil e especial de lecionar a respeito da migração. Muitos comentaram ainda que analisar a migração da Ásia ajuda a equilibrar a tradicional concentração do currículo na migração da Europa para as Americas. A inclusão explícita da matéria no currículo tradicional foi considerada importante pelos professores.
Os alunos por sua vez ficaram fascinados pela variedade de fontes primárias incluídas na unidade e muitos sentiram-se inspirados a comparar a experiência de migração de sua própria família à experiência da migração japonesa nas Americas.
Esta unidade curricular será publicada este ano e incluída no catálogo SPICE 2000 Stanford Program on International and Cross-cultural Education). O SPICE é um programa de extensão educacional não-lucrativo do Instituto para Estudos Internacionais da Universidade de Stanford.